Academia Sénior‎ > ‎2012/13‎ > ‎Ciclo de Estudos‎ > ‎

Memória do Ciclo de Estudos



Mais de cinco dezenas de sócios, frequentadores da Academia Sénior do CER e amigos, participaram na visita cultural às Brandas e Inverneiras. O nosso cicerone foi o Dr. José Rodrigues Lima que, através da palavra sapiente e da música seleccionada, nos introduziu na vida castreja e, particularmente, nas suas casas. O grupo visitou o Espaço Memória e Fronteira (Melgaço), onde foi recebido e guiado pela equipa técnica local. O almoço decorreu em Castro Laboreiro, com o castelo à vista e sob a vigilância dos promontórios rochosos. A visita ao Núcleo Museológico de Castro Laboreiro contribuiu para conhecer melhor a casa e a vida entre Brandas e Inverneiras. O percurso no lugar de Rodeiro encerrou da melhor forma esta visita.



Nota biográfica

Rui Jorge Garcia Ramos (Alvarães,1961) é arquiteto e professor na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP). Atualmente leciona o atelier de Projecto do Mestrado Integrado, e a unidade curricular Cultura e Habitar do Programa de Doutoramento em Arquitectura da FAUP. É doutorado em Arquitetura e investigador do Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo da FAUP, no grupo Atlas da Casa, onde coordena diversos projetos. Tem como principiais áreas de estudo os dispositivos espaciais da casa; a relação entre processos culturais e formas de habitar; a questão identitária em arquitectura; e os programas habitacionais, sobre os quais tem diversos trabalhos publicados. É membro do Conselho de Administração da Fundação Arquitecto Marques da Silva, integra a Comissão Científica do Programa de Doutoramento em Arquitectura da FAUP e é subdiretor do Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo da FAUP.

Nota biográfica

Teodoro Afonso da Fonte é licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (1980), Mestre em História das Populações (1995) e Doutorado em História (2004) pela Universidade do Minho. Exerce funções docentes na Ancorensis Cooperativa de Ensino de Vila Praia de Âncora, de que foi membro fundador e o seu primeiro presidente da direção. Atualmente, é o presidente da Assembleia-Geral do CER e associado de outras instituições sociais, culturais e científicas, nomeadamente do Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória (CITCEM), integrando o Grupo História das Populações da Universidade do Minho, e da Associação Ibérica de Demografia Histórica. Tem participado em vários congressos nacionais e internacionais, apresentando comunicações sobre temáticas relacionadas com a história da assistência, história social e demografia histórica, privilegiando o estudo da infância desvalida e abandonada no Alto Minho, um fenómeno demográfico que tem procurado aprofundar e desmistificar, devidamente enquadrado no âmbito nacional e ibérico. Entre os vários trabalhos de investigação publicados, poderá destacar-se a dissertação de mestrado sobre “O abandono de crianças em Ponte de Lima” e a tese de doutoramento, “No limiar da honra e da pobreza. A infância desvalida e abandonada no Alto Minho”, galardoada com o Prémio Literário A. Lopes de Oliveira, como melhor obra de estudos histórico-sociais de âmbito local ou regional, publicada nos anos de 2005 e 2006.



Nota biográfica

José Rodrigues Lima é um vianense, licenciado em História, com Especialização em Educação Patrimonial pelo Centro Nacional da Cultura. Estagiou na UNESCO – Paris, no âmbito do Património Cultural e frequentou o Mestrado em Antropologia Cultural na Universidade do Minho. Exerceu a atividade de professor do ensino secundário e superior na área das Ciências Sociais, tendo desempenhado cargos de direção. Realizou múltiplas comunicações sobre a problemática da juventude e do sistema educativo e de âmbito cultural no Alto Minho e Galiza. Criou o Grupo ETHNOS que foi financiado pelo Instituto de Inovação Educativa. É autor e coautor de diversas publicações e de suplementos culturais no Diário do Minho, revitalizou a manifestação carnavalesca do Pai Velho (Lindoso) e o Dia do Brandeiro (Aveleira, Melgaço) e organizou o catálogo “Memória e Gestos”, Núcleo Museológico de Santa Luzia. Colabora com várias instituições e realiza pesquisa antropológica.



7 de Fevereiro (17 horas) - Proposta de Requalificação intramuros do burgo medieval de Viana do Castelo: da escala urbana à tipologia habitacional. Tiago Arieira

Nota biográfica

Tiago Arieira, natural de Viana do Castelo, é mestre em arquitectura pela Universidade do Minho. Frequentou a Zürcher Hochschule für Angewandte Wissenschaften (Suíça) e colabora, desde 2010, com a equipa de arquitetura na Divisão de Manutenção e Reabilitação do Edificado, da Administração da Universidade de Coimbra. Co-autor da marca “I Love Viana”, venceu, em 2012, o concurso “Fazer Acontecer a Regeneração Urbana em Viana do Castelo”.



Nota biográfica

O projeto “Casas em Movimento” do arquiteto Manuel Vieira Lopes vem, nas suas palavras, “desafiar o atual paradigma da habitação”. O projeto venceu o concurso “The Next Big Idea” e representou Portugal na competição internacional “Solar Decathlon Europe 2012”, realizado em Setembro de 2012, em Madrid. O projeto “Casas em Movimento” foi, também, um dos cinco vencedores do concurso “Ideias TI Potencialmente Empreendedoras”, promovido pela ANETIE (Associação Nacional das Empresas das Tecnologias de Informação e Eletrónica). O conceito “Casas em Movimento”, da autoria de Manuel Vieira Lopes, nasceu no âmbito do projeto Lidera da Universidade do Porto e o seu desenvolvimento conta com a colaboração de diversas instituições científicas, empresas e entidades ligadas à tecnologia. A construção do protótipo apresentado em Madrid esteve a cargo de empresas sedeada no concelho de Viana do Castelo. O projeto assenta nas ideias de sustentabilidade, eficiência energética, mobilidade e equilíbrio ecológico, recorrendo à tecnologia contemporânea. 


4 de Abril (17 horas) - Quem casa quer casa - velhas e novas configurações acerca da terra, casa, herança e poupança, na freguesia de Durrães/Barcelos (1960-2004). António Cardoso

Nota biográfica

António Cardoso é doutor em Sociologia pela Universidade Complutense de Madrid, professor no Instituto Politécnico de Viana do Castelo, membro do ICS da Universidade do Minho e autor de diversos artigos e comunicações sobre temas relacionados com o desenvolvimento local, rural e regional.



11 de Abril (17 horas) - A Casa de Paredes na Meadela: memórias do passado, propostas de futuro. Fabíola Franco Pires

Nota biográfica

Fabíola Franco Pires (Meadela, 1983) é arquiteta e investigadora independente. Mestre em Arquitectura desde 2010 pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, onde defendeu a dissertação denominada "O Paço de Paredes na Meadela - Reconstrução de uma memória". Frequenta a Especialização em História e Património, ramo Estudos Locais e Regionais, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Foi bolseira da Fundação da Juventude/Ordem dos Arquitectos, no âmbito do Programa de Bolsas de Investigação na Área da Cidade e da Arquitectura, Cidade e Património Arquitectónico do Século XX: 1910-1974, tendo coordenado o estudo "A Obra da Rua no Concelho de Paredes", com a colaboração do Arquitecto Fernando Cerqueira Barros. Integra a equipa que participa na elaboração da edição revista da obra "Os Presidentes da Câmara Municipal do Porto", sob a coordenação do Dr. Francisco Queiroz e integra a equipa que realiza o Estudo do Património Arquitectónico do Vale do Tua (Épocas Moderna e Contemporânea), sob a coordenação do Dr. Manuel Couto. 


Ċ
Admin Cer,
06/05/2013, 01:41
Ċ
Admin Cer,
21/03/2013, 04:12
Ċ
Admin Cer,
21/03/2013, 04:12